terça-feira, 15 de maio de 2012

Quanto tempo demora para aprender a cantar?

Essa é a pergunta principal de todo iniciante. Todo aluno quer saber em quantas aulas ele vai ter domínio da técnica vocal, ou quanto tempo vai demorar para "aprender a cantar".


Não existe uma resposta única para esta questão, depende de inúmeros fatores, como: Em qual estágio de desenvolvimento cada um está, qual nível de experiência musical cada um tem, quais vícios vocais a pessoa possui, qual o grau de interesse que ele tem em aprender, o quanto este aluno vai se dedicar e como vai receber os estimulos oferecidos pelo professor, ou mesmo, o quanto o professor consegue estimulá-lo da melhor forma.

Cada aluno chega na primeira aula com um estágio de desenvolvimento único, não existem dois iniciantes iguais, ou dois alunos que já cantam há 10 anos que tenham a mesma voz, as mesmas qualidades e pontos a serem corrigidos. Alguns já estudaram anos, outros nunca cantaram nem mesmo no banho, alguns participaram de alguns corais amadores, outros se divertem nos karaokes. O importante é perceber o que cada um tem de qualidade e partir delas.

Existem pessoas que têm mais facilidade para aprender quando está começando a cantar, já vem de família de músicos, ou tocam alguns instrumento, ou tem o hábito de ouvir muita música e cantar descompromissadamente, e isso cria no indivíduo um lado musical que desenvolve ritmo e afinação de uma forma muito mais fácil do que alguém que tem pouco ou nenhum contato com a música. Eu mesmo, comecei a cantar acompanhando os CDs (e até K7s e discos de vinil) que gostava (na época não tinha MP3.. é a idade, hehe) sem o menor conhecimento de técnica ou coisa do tipo, cantava por que achava divertido, e essa é a razão por qual todos começam, acredito. Depois fui estudar, cantar em coro amador (CoralUSP) onde tive contato com professores incríveis (Sandra Espiresz e Fernando Coutinho Ramos, além de outros), que entendiam muito de voz e me ajudaram a desenvolver e me interessar pelos caminhos da voz.

O importante é saber que mesmo quem tem pouca experiência musical também pode aprender a cantar, também pode se desenvolver, por que experiência depende de vivência, única e exclusivamente.
Nossa vida é corrida e muito atarefada, estamos sempre estressados e tensos e isso é refletido em nossa postura, respiração, comportamento muscular e, obviamente, na forma com que vamos cantar. Esses vícios da vida comtemporânea dão enorme trabalho para um aluno que quer estudar canto. É incrível perceber que quando trabalhamos estes fatores externos a qualidade de vida melhora, os benefícios vão além de simplesmente aprender a cantar, mas vou deixar o assunto para outra oportunidade.
Vícios também são adquiridos quando cantamos por tempo prolongado sem perceber como o fazemos. É possível cantar com muito esforço e prejudicar a voz e nem mesmo ter consciência disso, isso acontece muito quando a saúde vocal e o condicionamento e equilíbrio da produção da voz não são levadas em consideração no estudo ou na prática do canto.

Além de tudo isso, o tempo que o aluno vai demorar para ter uma boa técnica vocal e dominar seu instrumento depende do professor. Cada pessoa reage de um jeito a determinada informação, por isso as instruções abstratas como "cante para trás", "faça a voz sair pelo topo da cabeça", "feche os olhos e cante com o coração", etc. não surte efeito em todos, e o professor deve saber lidar com cada um de forma específica, identificando quais pontos devem ser trabalhados e como fazer o aluno compreender o que está fazendo para conseguir reproduzir deliberadamente.

Quando o professor conseguir atingir o local certo em cada um, deve-se saber que o canto é, antes de mais nada, trabalho muscular. Não adianta só querer fazer determinado movimento, é preciso condicionar o corpo para isso. O bebê não nasce e sai correndo, e não é pq tem preguiça ou não quer, ele não consegue, ele precisa desenvolver os comandos neurológicos para as pernas, e desenvolver os musculos para, depois de sentar, ajoelhar, engatinhar, levantar e cair muitas vezes, finalmente conseguir andar. Com o canto é a mesma coisa, utilizamos nosso corpo de forma não usual e ele precisa ser condicionado, e isso só é possível com muita repetição (da forma correta, sem agredí-lo) e paciência.

Aí entra a parte do aluno. Não se aprende a andar com uma hora de tentativa por semana, não se aprende a ler com uma hora por semana, não ganhamos massa muscular na academia, aprendemos a dançar, nem mesmo vencemos um jogo de videogame com uma hora por semana. Por que seria assim com o canto ou outro instrumento musical?

É preciso conhecimento, percepção, dedicação e paciência. Com esses ingredientes não tem erro, pode demorar mais ou menos, de acordo com cada pessoa, pois somos todos diferentes, mas o resultado sempre será positivo, sempre.

Sem essa de não tenho talento, você pode ter preguiça ou direcionamento ineficiente, treinamento inadequado, etc. mas se não tiver nenhum problema de saúde vocal, físico ou mental (muitas vezes tratáveis) ,você chega lá. Acredite.

Um comentário:

  1. Esse último parágrafo é rotineiro na minha vida como instrutor vocal. Acredito nas possibilidades vocais, principalmente quando sabemos que a teoria e prática aplicada não é furada.

    ResponderExcluir