terça-feira, 15 de maio de 2012

Anatomia e fisiologia da voz. Preciso saber?

Anatomia é o estudo da estrutura, da forma, fisiologia é o estudo da função, no caso do canto, o estudo das estruturas que participam da voz e a função dessas estruturas, como elas trabalham e produzem o som.

OK, mas qual a importância disso? Preciso mesmo saber?

                       Visão da laringe por cima

Quando um professor vai ensinar a tocar violão, ele começa apresentando as partes dele, braço, trastes, rastilho, tarrachas, etc. Quando um baterista começa a tocar ele tem que saber onde é a caixa, o chimbau, o bumbo, o surdo, etc. Quem já viu um trompista escorrer a água que forma no instrumento quando toca?

Conheço muitos guitarristas e baixistas que quando terminam de tocar limpam as cordas, a guitarra e guardam seus instrumentos com cuidado, em seus cases ou bags. A guitarra ou baixo não fica encostada de qualquer maneira e recebe vários cuidados,junto com osmuitos pedais, pedaleiras ou racks de efeito. Bateristas investem em caixas melhores, pratos diferentes, tons de diversos tamanhos, sem contar os detalhes de peles de bumbo, bowbell, pedestais, etc.. Tecladistas estão sempre buscando por equipamentos para ter timbres melhores e novas possibilidades de sons e efeitos.

Isso por que eles conhecem a função de cada parte de seu instrumento, sabem como funcionam e o que deve ser feito para aprimorá-los e preservá-los, as pessoas vêem de fora e acham que é algum tipo de "frescura de músico", mas eles sabem da importância do que estão fazendo para entregar o melhor para o público.

Por séculos cantores não se importaram com o que é a laringe, se o músculo tireoaritenóideo faz isso, se ele tem uma ou mais funções, se os cricotireóideos fazem aquilo, quantos e quais são, ou mesmo se eles existem de fato, não se interessavam em saber a função dos músculos intercostais, véu palatino, massetéres, zigomáticos, reto abdominal, diafragma, esternotireóideo, aritenóideo, etc.

Felizmente essa mentalidade vem mudando, e cada vez mais existem interessados na anatomia e fisiologia vocal (como visto nos textos sobre a história da voz e do canto), e não para falar nomes difíceis e saber apontar onde é o que, mas para saber o que cada parte faz, como cuidar delas e como resolver problemas que cada uma tenha, por que é assim que transformamos o estudo da técnica vocal em algo fácil de compreender, dando sentido às coisas. É conhecendo o nosso instrumento que saberemos como desenvolve-lo, assim como faz um violinista, um trombonista, um maestro (que deve conhecer a música que regerá como ninguém), etc.

O conhecimento da função de cada estrutura envolvida no canto possibilita que o cantor encontre o problema exato que o impede de realizar aquela nota mais aguda, aquele som mais livre, um efeito como os drives, vibratos, melismas, realize o belting, o mix, etc.. Todos nós podemos fazer tudo isso, a diferença é que é muito mais fácil encontrar o que se procura quando se sabe o que se está procurando. Cantores não podem ver seus instrumentos funcionando, como os demais músicos, por isso, saber como cada som é produzido, se torna crucial para não perderem tempo tateando no escuro.

Isso significa que quem não conhece anatomia e fisiologia jamais cantará bem? Não, mas significa que quem conhece vai saber que quando osom não sai, não é porque não tem talento ou não é capaz de cantar, apenas precisa se esforçar e treinar de uma forma específica.

Um comentário:

  1. Com certeza dar sentido e esclarecer as funções na mecânica vocal proporciona melhor entendimento de como é disposta a acústica de cada individuo, considerando sua tipologia corporal, cabeça, pescoço... É demais! Simplesmente a fisiologia da voz é demais! Me impressiono a cada instante.

    ResponderExcluir