quarta-feira, 6 de junho de 2012

Articuladores e ressonadores da voz - Parte 2

Se você caiu aqui sem querer, confira a primeira parte do artigo AQUI

Os articuladores trabalham sozinhos ou separados, dependendo do som desejado. Fazemos isso tudo inconscientemente na fala e no canto, mas é interessante saber o que está acontecendo para podermos detectar possíveis falhas no mecanismo e providenciar a correção.

Veja-os trabalhando. Infelizmente o vídeo não tem audio. 
 
 

O francês François Le Huche fala em 6 pontos de articulação da voz em seu idioma, as seis “torneiras” da voz, ele considera apenas os fonemas de sua língua. É possível articular de outras formas em outras línguas, como as de origem anglo-saxã, orientais, africanas, ou mesmo em diferentes regiões do Brasil.

As “torneiras” descritas por Le Huche são:
Lábios ou lábio inferior contra o bordo inferior (a serrinha) dos dentes incisivos superiores - como quando seguramos um “V”, um “F” ou articulamos um “P”, ou “B”. Atenção para não segurar com som de “vêêêêêê”, assim você está mantendo a vogal “ê” e não a consoante “v”, o mesmo vale para todas as outras.

Dorso (corpo) da língua contra os incisivos superiores ou face posterior (costas) dos incisivos e gengiva superiores - faça um “Z” prolongado e tente perceber, ou um “S” ou fale um “T”, ou “D”.

Dorso da língua contra palato (a parte óssea, frontal) - “R” ou “K” (apenas o K, não o “Kaaaa”, assim você seguraria o “a”), ou “Ch”, ou “G”.

Pregas vocais - esse ponto de articulação produz as frequências que são combinadas com as outras articulações e ressonadores criando os sons de vogais e algumas consoantes sonorizadas como V, J, Z, M, N, etc.

Véu do palato (palato mole) contra teto da rinofaringe - usado em efeitos, como ronco ou o som que imita o Pato Donald.

Orifícios das narinas - pouco usado na comunicação, mas também produz som, tente soprar pelo nariz.

Em cada um desses estreitamentos o som pode ser produzido de 3 formas distintas: escape, explosão e vibração. O ar pode ser obstruído como em um “V” (escape), obstruído e liberado repentinamente como em um “P” (explosão) ou provocar vibração dos órgãos, como acontece num “M” ou “N”.

2 comentários:

  1. Boa noite Mauro! Gostei muito do seu blog.. achei o material muito bom pra se ler e entender!! olhando o video ali em cima achei uns bem interessantes, quem sabe vc possa usa-los como ex. https://www.youtube.com/watch?v=M2OdAp7MJAI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fernando.

      Esse video é muito legal, da pra ver bem a movimentação que acontece nos diferentes sons, e perceber a importância dessa estrutura estar bem desenvolvida e agil.

      Abs!!

      Excluir